segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Apocalipse - Estudo 7

Selagem dos 144.000 e a Grande Multidão
Ap 7:1-8 – Depois disto, vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma. 2 Vi outro anjo que subia do nascente do sol, tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, aqueles aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar, 3 dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus. 4 Então, ouvi o número dos que foram selados, que era cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel: 5 da tribo de Judá foram selados doze mil; da tribo de Rúben, doze mil; da tribo de Gade, doze mil; 6 da tribo de Aser, doze mil; da tribo de Naftali, doze mil; da tribo de Manassés, doze mil; 7 da tribo de Simeão, doze mil; da tribo de Levi, doze mil; da tribo de Issacar, doze mil; 8 da tribo de Zebulom, doze mil; da tribo de José, doze mil; da tribo de Benjamim foram selados doze mil.
Em meio a esse período de juízos de Deus sobre o mundo, juízos que são representados pelos selos que estão sendo abertos pelo Cordeiro, como vimos na semana passada, entre o 6º e o 7º selo temos uma espécie de parêntesis, isto é, um intervalo, pois o 7º selo somente será aberto no capítulo 8.
Nesse cap. 7 que iremos estudar hoje, a graça e a misericórdia de Deus se manifestam sobre dois grupos de pessoas especiais...
Reparem que no meio das catástrofes tremendas que estão acontecendo, ocorre, portanto, uma pausa, uma espécie de silêncio... Podemos comparar com um tornado... ou um ciclone... um furacão... Sabemos que no meio de um furacão, uma tormenta que destrói tudo por onde passa, no meio reina um profundo silêncio...
O v.1 diz — Depois disto, vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma.
Reparem que os quatro anjos seguram os quatro ventos do juízo, mas estão a ponto de soltá-los. Entretanto, aí aparece um outro anjo que ordena, em alta voz, como está no v.2-3 — Vi outro anjo que subia do nascente do sol, tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, aqueles aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar, dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores...
Isso significa que os quatro poderes destruidores, representados aqui pelos quatro ventos, não podem, simplesmente, serem lançados sobre a terra de qualquer maneira...
E isso é uma prova de que o Senhor mantém o controle sobre a execução dos juízos, como também sobre todas as coisas...
Agora, a pergunta que se faz é: — Quem é esse Outro Anjo que aparece? Reparem que ele tem grande autoridade, pois ele ordena em alta voz... No meu modo de entender, esse outro anjo é o próprio Senhor Jesus na figura de um anjo que subia do nascente do sol... (v.2)
Vemos, aqui, de maneira profética o futuro de Israel... Malaquias 4:2 diz assim: — Mas para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas...
Esse outro anjo, reparem, ele é muito superior aos quatro que seguram os quatro ventos, as tempestades do juízo... Está claro que esses quatro anjos têm a tarefa de soltar os juízos de Deus sobre a terra...
Mas, aí, vem de repente uma contra-ordem, uma contra-ordem que tem precedência, que tem autoridade para mudar...
Podemos comparar isso com um sinal de trânsito. Reparem, quando o sinal está verde, podemos passar livremente... Mas, se vier uma ambulância (polícia) com a sirene ligada, a preferência é da ambulância, temos que parar...
A ordem desse outro anjo tem, assim, prioridade... e isso é um indício muito forte de que se trata de uma ordem do Senhor Jesus para que os quatro juízos ainda não sejam soltos...
Assim durante a Grande Tribulação, um grupo de 144.000 pessoas de Israel receberá o selo de Deus... É o mesmo que acontece, hoje, antes do arrebatamento...
Quando uma pessoa é convertida, quando recebe o Senhor Jesus em seu coração, ela se arrepende de seus pecados e essa pessoa é selada com o Espírito Santo, como está em Ef 1:13 — em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa;
E nós sabemos também que o Espírito Santo, conforme o v.14 de Ef 1, é — o penhor da nossa herança...
Deus,portanto, deu o seu próprio Espírito Santo como penhor, como garantia, para que nós fiquemos seguros de que seremos guardados, até o Dia da Redenção, até a Volta do Senhor Jesus...
Esta selagem, durante a Grande Tribulação, será uma selagem coletiva, uma selagem que acontecerá quando Jesus voltar, porque só então Israel compreenderá que, de fato, Jesus é o Messias prometido...
Naturalmente, esse número 144.000 é um número simbólico, como o são a maioria dos números do Apocalipse e da Bíblia... 144.000 = 12 x 12 x 1000...
Todavia, uma coisa é certa, trata-se especificamente de judeus que compõem as doze tribos de Israel... Isso está bem claro no texto... Existem estudiosos que não querem aceitar isso e falam que as tribos são dos crentes fieis...
Mas, reparem, isso é uma grande tolice... Os crentes fieis, nessa altura, já foram arrebatados... Além disso, o texto fala claramente nas tribos de Israel e nomeia cada uma delas... E mais, nós não podemos perder de vista que Israel, quer queiramos ou não, é povo de Deus e isso é bíblico (explicar)
Não resta, pois, a menor dúvida de que esse nº 144.000 se refere aos israelenses que se converteram, que se tornaram crentes, durante a Grande Tribulação, portanto, depois do arrebatamento.
Esses 144.000 são referidos também no cap. 14:1-5. Ali, verificamos que eles não têm antepassados espirituais, porque eles são, como diz o v.4, primícias para Deus e para o Cordeiro.
Igualmente, eles não têm descendência espiritual... e isso vale também para nós, porque Deus não tem netos, mas somente filhos. Isso significa que a conversão não pode ser herdada... (explicar)
Vejamos, agora, o ato de selagem dos 144.000. O v.2 diz — Vi outro anjo que subia do nascente do sol, tendo o selo do Deus vivo...
Reparem que é a própria Trindade Santa que age: 1. O selo é o Espírito Santo; 2. o Espírito Santo do Deus vivo, isto é, de Deus-Pai; 3. e o anjo que clama em alta voz, como explicamos, é o Filho.
Temos, aqui, portanto, o Pai, o Filho e o Espírito Santo... E o Filho, no v.3, diz — ... até selarmos na fronte os servos do nosso Deus.
Essa selagem com o Espírito Santo é absolutamente necessária, caso contrario, ninguém na terra poderia escapar da Grande Tribulação...
Ap 7:9-17 — Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos; 10 e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação. 11 Todos os anjos estavam de pé rodeando o trono, os anciãos e os quatro seres viventes, e ante o trono se prostraram sobre o seu rosto, e adoraram a Deus, 12 dizendo: Amém! O louvor, e a glória, e a sabedoria, e as ações de graças, e a honra, e o poder, e a força sejam ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém! 13 Um dos anciãos tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram? 14 Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes. Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro, 15 razão por que se acham diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo. 16 Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, 17 pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.
Embora tenhamos uma pausa entre o 6º e o 7º selos, como explicamos, essa passagem que acabamos de ler faz parte do 6º selo, porque, reparem, o 6º selo tem como resultado três visões:
1. Catástrofes que enchem as pessoas de perplexidade, medo e terror... Em 6:5-17, se os irmãos estão lembrados, nós vimos que o sol fica negro como saco de crina, a lua vermelha como sangue e a terra é abalada por um enorme terremoto.
2. Em meio a esse juízo, é estabelecida uma pausa por causa dos 144.000 de Israel que ainda têm que ser selados.
3. A grande multidão vestida de vestiduras brancas e com palmas nas mãos (7:9)
Agora, reparem, as duas primeiras visões se referem à terra (catátrofes) e a pessoas de carne e osso (os 144.000). Mas, a 3ª visão se refere ao céu e às pessoas que estão lá glorificadas.
Entretanto, o conteúdo dessa visão faz parte das outras duas. Por quê? Porque o dia da Volta do Senhor Jesus, ///, não é um dia comum de 24 horas...
Todos os selos e todos os acontecimentos desencadeados pela abertura desses selos fazem parte desse dia... Entretanto, cada um desses acontecimentos representam períodos variados... podem durar vários dias, vários meses e vários anos...
O que o apóstolo João vê, agora, no céu, é algo extraordinário. Os v.9-10 dizem: — Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos; 10 e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação.
Essa visão é a continuação do cap.4, onde João vê o trono de Deus e do Cordeiro e os 4 seres viventes com os 24 anciãos assentados em tronos...
E, agora, aparece essa multidão inumerável, proveniente de todas as nações, vestidas de branco, acenando com as palmas da vitória... E não só isso, a multidão louva e clama em alta voz: — Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação.
E, aí então, vem a reação (v.11-12) — Todos os anjos estavam de pé rodeando o trono, os anciãos e os quatro seres viventes, e ante o trono se prostraram sobre o seu rosto, e adoraram a Deus, 12 dizendo: Amém! O louvor, e a glória, e a sabedoria, e as ações de graças, e a honra, e o poder, e a força sejam ao nosso Deus, pelos séculos dos séculos. Amém!
Ou seja, o louvor da multidão causa um novo louvor e produz uma espécie de reação em cadeia... Mas, essa cena da visão do apóstolo é perfeitamente compreensível, embora essa grande multidão exija uma análise aprofundada...
Reparem que um ancião pergunta no v.13 — Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram?
Esta pergunta, reparem, não é feita com relação aos 144.000 de Israel, porque, nesse caso, não existe dúvida, está muito claro, como acabamos de ver... A pergunta também não é em relação aos anjos que estão em volta do trono, nem tampouco com relação às almas que estão debaixo do altar...
Deve, portanto, haver algo de especial com respeito a essa multidão inumerável...
Reparem, também, que João demonstra que não sabe QUEM são, nem de onde vieram aquelas pessoas, pois ele diz no v.14a – meu Senhor, tu o sabes. — E, como João, muitos estudiosos do Apocalipse também não sabem QUEM são, e dão respostas, às vezes, sem fundamento a esse respeito...
Mas, com base no mesmo v.14b, todos sabem de onde aquelas pessoas vieram, pois o ancião diz a João — São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro...
Todavia, existem muitas opiniões a respeito de QUEM são, aquelas pessoas que formam a grande multidão: (1) elas podem ser pessoas de carne e osso que estavam na terra na Grande Tribulação; ou (2) poderiam ser espíritos em processo de transição; ou (3) santos glorificados em suas habitações celestiais; e (4) muitas outras são as opiniões...
Assim, como as opiniões são muitas, a melhor coisa a fazer é verificar o que estas pessoas NÃO são, e, aí, poderemos esclarecer muitos pontos:
1. Elas NÃO são os vencedores redimidos que constituem a Igreja Glorificada do Senhor Jesus. Nós já vimos, nos cap. 4 e 5, a igreja arrebatada a qual é representada pelos 24 anciãos coroados e assentados em tronos.
Essa multidão NÃO está assentada, mas, sim, em pé. A Igreja arrebatada aparece no céu antes de se iniciarem as catástrofes e os juízos sobre o mundo...
A tal multidão, no entanto, aparece diante do trono, enquanto os juízos na terra estão sendo realizados, até a abertura do 6º selo...
A multidão NÃO pode ser a Igreja Glorificada, repito, porque ela já estava no céu antes que soasse a hora das provações, conforme podemos deduzir de 3:10 — Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra.
Reparem que a multidão tem palmas em suas mãos, e está dito, de forma muito clara, que ela passou pela Grande Tribulação. Assim, é um erro querer equiparar essa multidão inumerável com a Igreja arrebatada e glorificada...
2. Essa multidão, também, NÃO pode ser identificada com os 144.000 selados, porque a esses é dado um número que indica uma quantidade, embora simbólica...
Mas, em relação à multidão é dito que ela é INUMERÁVEL. Além disso, os 144.000 selados, como vimos, são de Israel, enquanto a grande multidão procede de todas a nações, tribos, povos e línguas...
Assim, parece que essa grande multidão foi tirada da Grande Tribulação... parece que a Grande Tribulação foi interrompida, entre o 6º e o 7º selos, por causa dessa grande multidão...
Entretanto, essa é uma conclusão um tanto cômoda, porque essa grande multidão não é mostrada DURANTE o tempo em que ela está na Grande Tribulação... Ela é mostrada, apenas, no momento em que ela sai como vencedora... Ou seja, ela só é mostrada DEPOIS que sofreu a Grande Tribulação.
Desta maneira, esta é a dedução, temos aqui uma visão ANTECIPADA daquilo que ainda não foi completado... poderíamos dizer que é uma visão do futuro do futuro... João pode ver isso porque ele vê tudo da eternidade.
Assim, essa grande multidão será afligida DURANTE e APÓS a abertura do 7º selo, durante as 7 trombetas e as 7 taças da ira de Deus.
Isso acontece, porque essa grande multidão é constituída por aquelas pessoas que se recusam a adorar o ANTICRISTO, quando ele se manifesta como a BESTA... Consequentemente, vem o martírio dessa multidão inumerável, quando aquelas pessoas têm que morrer por causa da sua fé...
Desta forma, como eu disse, neste cap.7 a grande multidão é mostrada ANTECIPADAMENTE, como a grande ceifa... Isso indica que, durante a Grande Tribulação, haverá também um grande despertamento...
É um despertamento tardio, um despertamento, de certa forma, triste, porque essa pessoas serão salvas, mas terão que sofrer muito e pagar com suas vidas...
Sabemos, portanto, agora, exatamente QUEM são, ou melhor, de qual situação vem essa grande multidão... São pessoas de todas as nações, tribos, povos e línguas... pessoas que não aceitaram a Cristo antes do arrebatamento...
Entre essa pessoas estão, certamente, aqueles que se dizem cristãos, mas que desprezam a advertência de Jesus que está em Mt 24:44 — Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá.
Esses deixados para trás, além de não darem importância à advertência do Senhor, também não se preparam... É exatamente como no tempo de Noé, como o próprio Senhor Jesus diz em Mt 24:38-39 — Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, 39 e não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem.
Quando eles perceberam, era tarde demais... No arrebatamento, também será assim... Os que ficarem para trás passarão pelas guerras, pela fome, pelos terremotos, por violências de toda espécie...
O irmão pode até levantar uma dúvida: — Mas, pastor, como é que depois do arrebatamento, ou seja, durante a Grande Tribulação, ainda haverá conversões??? O Espírito Santo não estará mais presente, então, como é isso???
Que o Espírito Santo já terá se retirado da terra, está absolutamente correto!!! Mas, a obra do Espírito Santo permanece mesmo assim...
(ilustração) Tomemos, por exemplo, o quadro de um pintor famoso... Miguel Ângelo, ou um escritor, por exemplo, Machado de Assis, estas pessoas já morreram há muito tempo, mas a obra delas continua vivendo, continua influenciando a cultura...
Da mesma forma, a obra do Espírito Santo estará vivificando a Palavra de Deus no coração dos homens... Quem ouviu a Palavra poderá ainda receber a graça da Salvação...
Vamos dar um exemplo. Um casal em que um é crente e o outro não. Acontece o arrebatamento... Vamos supor que a mulher é arrebatada... O camarada olha pro lado e já era... a mulher sumiu..
Em seguida, o marido começa a ouvir no rádio, na TV, nos jornais, que muita gente desapareceu no mundo... e ele começa, então, a perceber que aconteceu, justamente, aquilo que sua esposa dizia que iria acontecer...
Aí, começa a Grande Tribulação, os sofrimentos e tudo mais... e esse marido se lembra da Palavra de Deus, Palavra que não volta vazia (Is 55:11)... E aquele homem entrega, então, seu coração a Jesus.
Essa pessoa vai sofrer muito, vai morrer martirizado, e vai fazer parte, exatamente, daquela grande multidão inumerável...
Assim, os efeitos vivificadores do Espírito Santo estarão atuantes durante a Grande Tribulação... Quando o v.14 diz que eles — lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro... — isso significa que o Espírito Santo está agindo...
Estes salvos, retardadamente, não terão a experiência do novo nascimento, como nós... Mas, através do arrependimento, eles serão salvos para a eternidade...
Que eles se converteram, está mais que provado no v.14 – lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro...
Entretanto, há uma coisa aqui que chama a nossa atenção. Reparem que o versículo fala duas vezes em vestiduras: (1) lavaram suas vestiduras e (2) alvejaram as vestiduras no sangue do Cordeiro.
Por que motivo??? Pelo seguinte motivo: 1º eles lavaram suas vestiduras, isto é, lavaram o seu interior no sangue do Cordeiro... Se arrependeram e foi lhes dada a conversão... 2º eles entregaram suas vestiduras, isto é, seus corpos, e tornaram-se UM com Jesus em sua morte...
Assim, depois que aquelas pessoas deixaram suas vidas, foi alcançado o número de mártires pelo qual esperavam os que estavam em baixo do altar, aqueles que já haviam recebido uma vestidura de honra...
Os irmãos estão lembrados??? O Ap. 6:11 diz assim – Então, a cada um deles foi dada uma vestidura branca, e lhes disseram que repousassem ainda por pouco tempo, até que também se completasse o número dos seus conservos e seus irmãos que iam ser mortos como igualmente eles foram.
Agora, portanto, o número de mártires está sendo completado, e eles estão diante do trono de Deus e do Cordeiro, e louvam ao Pai e ao Filho...
A fonte da bem-aventurança é o Cordeiro, pois o 7:17a diz assim – o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida.
Ou seja, o sofrimento deles será transformado em glória, porque o próprio Deus-Pai lhes enxugará dos olhos toda lágrima (17b).
E para encerrar o estudo de hoje.... Se a glória desses restantes, desses que vão ser martirizados durante a Grande Tribulação, será tão grande, imaginem como será a glória dos que serão arrebatados ANTES da Grande Tribulação... É como está em 1 Co 2:9 — Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Amém!

2 comentários:

  1. REVELAÇÃO / EXORTAÇÃO:
    Urge propagarmos na terra, a certeza de que Jesus Cristo ja vive agindo entre nós, espargindo a luz do saber, criando Irmãos espirituais, e a nova era Cristã. Eu não minto, e a Espiritualidade que esperava pela sua volta, pode comprovar que digo a verdade. Por princípio, basta recompormos as 77 letras e os 5 sinais que compõem o titulo do 1º. livro bíblico, assim: O PRIMEIRO LIVRO DE MOISÉS CHAMADO GÊNESIS: A CRIAÇÃO DOS CÉUS E DA TERRA E DE TUDO O QUE NÊLES HÁ: Agora, pois, todos podem ver que: HÁ UM HOMEM LENDO AS VERDADES DO SEU ESPÍRITO: ÊLE É O GÊNIO CRIADOR QUE CRIA ESSA AÇÃO DE CRISTO. (LC.15.28) E cumpriu-se a escritura que diz: (JB.14.17) O Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não no vê, nem conhece, vós o conheceis, porque Ele habita convosco e estará em vós. Regozijemo-nos ante a presença do Nosso Senhor, e façamos jus ao poder que o Filho do Homem traz às Almas Justas, para a formação da verdadeira Cristandade.

    (MT.26.24) – O FILHO DO HOMEM VAI, COMO ESTÁ ESCRITO A SEU RESPEITO, MAS AI DAQUELE POR INTERMÉDIO DE QUEM O FILHO DO HOMEM ESTÁ SENDO TRAIDO! MELHOR LHE FORA NÃO HAVER NASCIDO.

    E, ao recompormos as 130 letras e os 7 sinais que compõem esse texto, todos já podem ler, saber e entender quem é o Filho do Homem.

    E O FILHO DO HOMEM É O ESPÍRITO QUE TESTA AS ALMAS DO HOMEM E DA MULHER, NA VERDADE DO SENHOR, COMO CRISTO: E EIS A PROVA QUE O FILHO DO HOMEM FOI TREINADO NA LEI CRISTÃ

    (MC.14.41) – CHEGOU A HORA, O FILHO DO HOMEM ESTÁ SENDO ENTREGUE NAS MÃOS DOS PECADORES. E hoje, quem quiser interagir com o Filho do Homem, deve buscar “A Bibliogênese de Israel”, que já está disponível na internet. E quem não quiser, pode continuar vivendo de esperança vã, assistindo passivamente a agonia da vida terrena, à par da auto-destruição do nosso planeta... .

    ResponderExcluir
  2. Vamos dar um exemplo. Um casal em que um é crente e o outro não. Acontece o arrebatamento... Vamos supor que a mulher é arrebatada... O camarada olha pro lado e já era... a mulher sumiu..

    Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém. Apocalipse 1:7

    pastor o senhor poderia me explicar o seu comenta´rio e esta passagem bilica

    ResponderExcluir